em matéria
em em vídeo
em convidado
Últimas Notícias
Convidados
Fale conosco Expedinte/Termos de uso [email protected] Whatsapp 55 67 3355 4794 © Copyright 2017. Todos os direitos reservados à
MULTIPLIX - Planejamento, Mercado e Tecnologia

INTERNACIONAL

INTERNACIONAL - Segunda, 02/10/2017

EI assume autoria de ataque em Las Vegas; FBI não vê ligação de atirador com terrorismo

Reprodução

Atentado realizado durante um festival de música country em Las Vegas, deixou 58 mortos e mais de 500 feridos. Atirador se matou antes da chegada da polícia

O grupo jihadista Estado Islâmico (EI) assumiu nesta segunda-feira (2), a autoria do ataque realizado durante um festival de música country em Las Vegas (EUA) que deixou 58 mortos e aproximadamente 500 feridos. Em um comunicado da agência de notícias Amaq, do EI, cuja autenticidade não pôde ser verificada, o grupo afirma que o autor do atentado é "um soldado do Estado Islâmico". A informação é da agência EFE.

O ataque foi realizado, segundo a Amaq, como resposta às ações da coalizão internacional, liderada pelos Estados Unidos, contra o Estado Islâmico na Síria e no Iraque.

Segundo a Amaq, em outro comunicado publicado logo após a reivindicação do ataque, o suposto autor do massacre, identificado como Stephen Paddock, um homem branco de 64 anos e que se suicidou após cometer o massacre, "se converteu ao Islã há vários meses".

Paddock abriu fogo contra uma multidão de mais de 22 mil pessoas que assistiam a um show a partir de um quarto onde se hospedou, no 32° andar do hotel Mandala Bay, em Las Vegas. No momento do ataque acontecia o festival de música country ao ar livre "Route 91 Harvest Festival".

Um porta-voz da polícia explicou em coletiva de imprensa que o agressor estava hospedado no hotel desde 28 de setembro. Ainda são desconhecidas as causas pelas quais Paddock decidiu disparar contra o público, segundo informou a polícia local.

Atentado – O grupo Estado Islâmico (EI) reivindicou a autoria do massacre em Las Vegas (EUA) na noite deste domingo (horário local). No entanto, o FBI, a polícia federal americana, diz que não foi encontrada nenhuma evidência de conexão do atirador Stephen Paddock com grupos terroristas internacionais. De acordo com o SITE Intel Group, que monitora sites jihadistas, a reivindicação foi anunciada pela agência Amaq News, ligada ao EI. Com 58 mortos e mais de 500 feridos, o ataque a tiros é considerado o mais letal da história dos Estados Unidos.

A polícia de Las Vegas também não confirmou ligação do atirador com grupo terrorista. Em coletiva de imprensa mais cedo, o xerife da polícia de Las Vegas, Joseph Lombardo, disse acreditar que não se tratava de um ataque terrorista. "Não, não. Neste momento acreditamos que foi um morador local", disse. O xerife chamou o atirador de "lobo solitário".

Ele disparou do 32º andar do Mandalay Bay, um famoso cassino e resort da cidade, contra uma multidão que participava de um festival de música. A polícia encontrou Paddock morto no quarto do hotel, ao lado de ao menos 10 armas.

A diretora do SITE, Rita Katz, diSSE que o grupo precisaria apresentar evidências de sua ligação com o ataque, considerando o que se sabe até o momento sobre o atirador. Caso contrário, pode fazer com que o Estado Islâmico pareça (mais) desesperado por reivindicações".

Em maio deste ano, a Fox News divulgou um vídeo do EI em que o grupo incentivava americanos a promover ataques no país. O vídeo mostrava imagens de várias cidades americanas, entre elas las Vegas.

exito Neex Brasil - Criação e Desenvolvimento de Sites
55 (67)3355 4794

"Jornalismo é publicar aquilo que alguém não quer que se publique. Todo o resto é publicidade."
George Orwell